Vídeo do TSE em defesa da urna eletrônica tem ‘chuva’ de dislikes

Primeiro vídeo de campanha da Justiça Eleitoral já passa das 10 mil descorticadas e tem menos de 300 curtidas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou, nesta sexta-feira (14), uma campanha em defesa da utilização da urna eletrônica. Nas redes, é o próprio presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, quem protagoniza vídeos classificando o processo de voto eletrônico como “seguro, transparente e auditável”. O novo projeto, porém, tem recebido forte rejeição nas redes sociais.

Lançado na quinta-feira (13) com o título Na urna eletrônica brasileira você pode confiar!, o primeiro vídeo da campanha está com uma altíssima taxa de descurtidas no canal do YouTube da Justiça Eleitoral. Até 10h desta sexta, a gravação tinha pouco mais de 24 mil visualizações e já passava dos 10 mil dislikes. O número de curtidas, por sua vez, era de apenas 249.

Vídeo sobre confiabilidade da urna eletrônica teve enxurrada de dislikes Foto: Reprodução

Nos comentários da publicação, a situação não era diferente. Muitos usuários pediam a implantação do voto auditável e questionavam os motivos da rejeição do TSE ao mecanismo de impressão do voto, defendido por apoiadores do governo federal e endossado pelo presidente Jair Bolsonaro. Em grande parte das mensagens, os internautas ainda disseram não confiar no método atual.

A iniciativa do TSE acontece um dia depois de ser instalada na Câmara uma comissão especial sobre o “voto impresso auditável”, cujo objetivo será analisar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), que trata justamente da impressão do voto. A instalação aconteceu após determinação do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

– É importante para que não paire dúvida na cabeça de nenhum brasileiro. Temos que respeitar o sistema eleitoral, mas ele também tem que ser possível de auditagem – disse Lira ao participar de um evento em Alagoas ao lado de Bolsonaro na quinta-feira.

Paulo Moura – 14/05/2021 10h26 | atualizado em 14/05/2021 10h41

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguês do Brasil