Valandro: “É uma grande mentira que a Igreja não tem que falar de política”

Presidente da Igreja Batista Atitude é pastor da primeira-dama Michelle Bolsonaro

O pastor presidente da Igreja Batista Atitude, Josué Valandro Jr., conversou com o Pleno.News sobre a relação entre a fé e a política. Líder cristão de quase 16 mil pessoas, entre as quais a primeira-dama Michelle Bolsonaro, Valandro defendeu a importância de a Igreja se posicionar como uma voz relevante na sociedade e fez uma avaliação sobre o governo do presidente Jair Bolsonaro. A entrevista completa pode ser assistida no vídeo abaixo ou ainda em podcast.

Valandro elogiou o desempenho do Ministério da Infraestrutura em obras como a Ferrovia Nova Transnordestina e a transposição do Rio São Francisco no Ceará. Também destacou como fatores animadores a melhora da economia e as boas previsões de crescimento, mesmo em um contexto de pandemia.

– No meio da pandemia, o Brasil está crescendo economicamente. O mundo inteiro está querendo entender o que está acontecendo aqui. Só não sabe disso a maior parte da imprensa brasileira. Lá fora, os jornais internacionais estão falando da economia do Brasil. Eles não estão conseguindo descrever. E, aqui dentro, infelizmente a maior parte da imprensa só bate no presidente. Mas não tem problema não. Ele vai ser reeleito e vai continuar essa obra tão transformadora para a nação – declarou Valandro.

O pastor relata que, em seu último encontro com o chefe do Executivo há duas semanas, pôde notar que o presidente não perdeu a motivação que possuía desde quando assumiu o seu mandato, no início de 2018.

– Da última vez que encontrei com o presidente, eu o vi com uma motivação, com uma alegria, como se fosse lá, no início da eleição, logo que tomou posse. Algumas coisas estão acontecendo no Brasil que têm resgatado nele uma alegria, uma força que nos entusiasma. Eu vi um homem alegre de estar servindo à nação, apesar dessa turbulência toda, apesar dessas fake news todas. Apesar de ninguém admitir que uma série de adjetivos que deram a ele não se concretizaram – declarou o líder religioso.
2022
Ao falar sobre suas expectativas para as eleições de 2022, Valandro disse esperar não apenas que o presidente seja eleito para um novo mandato, mas que “mais de 50% do parlamento seja renovado”. Para ele, há muitos congressistas que não merecem o cargo que possuem, pois “não amam a nação”.

– Gente que bate no presidente o tempo inteiro não ama a nação. Você conseguiria trabalhar com gente te perturbando o dia inteiro? É o que acontece. Tem parlamentares que batem no presidente, batem nos ministros, perseguem o tempo inteiro; é fake news o tempo inteiro. [É] Difícil trabalhar assim. A minha expectativa é que mais da metade do parlamento nunca mais pise em Brasília. Que a gente faça uma renovação no Senado e na Câmara de Deputados!

Para o líder evangélico, o governo precisa de pessoas competentes e honestas, que, embora façam críticas construtivas ao governo federal, unam-se pelo bem da nação.

– Que a gente eleja gente de qualidade, gente de competência, e não esses políticos de carteirinha que já provaram a sua corrupção ao longo dos anos e que a gente acaba reelegendo para governador! Que a gente tenha governador gente boa; gente que quer o melhor para a nação; gente que aponta as críticas ao governo federal, mas que está junto para fazer a coisa acontecer, e não gente que quer a cadeira do presidente e [que], por isso, fica o tempo inteiro tentando massacrar o governo federal, em vez de unir a nação em torno de um projeto para o povo!

entrevista com pastor josué valandro
Pr. Josué Valandro é líder de quase 16 mil pessoas Foto: Pleno.News

O CRISTÃO E A POLÍTICA
O pastor Josué Valandro prosseguiu defendendo uma compreensão assertiva sobre a separação entre a Igreja e o Estado. De acordo com ele, este é um conceito “fundamental”, porém mal compreendido. Valandro explica que este princípio não elimina o papel cidadão dos fiéis.

– Tem um princípio que veio com a Reforma Protestante, que é a separação entre Igreja e Estado. Esse princípio é muito importante. Igreja é uma coisa; Estado é outra. Porém, as pessoas confundiram as coisas. Começaram a achar que a separação entre Igreja e Estado é a Igreja não falar nada sobre política… a Igreja não ter atitude cidadã… ignorar a sua atitude com a sociedade. E não era esse o princípio da separação entre Igreja e Estado – explicou.

Valandro mencionou o papel que os profetas exerciam sobre seus reis e lideranças, tanto no Velho, quanto no Novo Testamento, e argumentou que a Igreja atual também precisa exercer influência em debates revelantes para a sociedade de forma honesta.

– É uma grande mentira que a Igreja não tem que falar de política. Quando a gente se calou, o que aconteceu? Só falou de política quem não era da Igreja. E as igrejas que falavam de política não falavam com uma visão cidadã. Falavam com uma visão de ter representantes para defender os interesses da sua própria igreja. E não é para isso que um político evangélico tem que estar lá. Tem que estar lá para pensar [no] Brasil, para pensar no que está sendo feito da Amazônia, no que está sendo feito do saneamento básico – frisou.

Para o pastor, “ou a Igreja se mobiliza, estuda esses casos, traz [a] Bíblia para essa realidade cultural e social, ou então a gente perde a batalha”. Ele acredita que essa talvez seja a “última chance” de a Igreja fazer a diferença.

Josué Valandro é escritor, conferencista, graduado em Informática pela PUC-RJ e mestre em Teologia pela Southwestern Baptist Theological Seminary. Atualmente, ele se dedica ao cuidado de 19 filiais da Igreja Batista Atitude espalhadas pelo Brasil, pelo Canadá, por Portugal e pelos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguês do Brasil