Vacina da chinesa CanSino tem pedido arquivado pela Anvisa

Decisão foi tomada devido à falta de alinhamento entre a fabricante e a Belcher Farmacêutica, que protocolou o pedido na Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu arquivar o pedido de uso emergencial da vacina contra Covid-19 Convidecia, produzida pelo laboratório chinês CanSino. De acordo com o órgão, a decisão foi tomada devido à falta de alinhamento entre a fabricante e a Belcher Farmacêutica do Brasil Ltda, que protocolou o pedido de autorização para uso emergencial.

– A detentora pode ser ou não fabricante do produto, mas deve se responsabilizar pela qualidade, eficácia e segurança do medicamento ou vacina a ser disponibilizada à população brasileira. Em face do eventual desalinhamento entre o detentor e o desenvolvedor [da vacina], temos que mecanismos essenciais de supervisão técnica foram comprometidos – disse Meiruze Freitas, relatora do pedido.

A CanSino entrou em contato com a Anvisa em 17 de junho, informando que a Belcher Farmacêutica do Brasil Ltda. e o Instituto Vital Brazil S.A não possuíam mais autorização para representar o laboratório no Brasil, tampouco requisitar o uso emergencial do imunizante. Dez dias depois, a orientação foi reforçada pela CanSino.

A vacina Convidecia é de dose única e foi desenvolvida em parceria com a Academia de Ciências Médicas Militares da China. O imunizante é produzido a partir de um adenovírus humano não replicante, e os ensaios clínicos do produto foram realizados no Paquistão, na Rússia, no Chile, na Argentina e no México. O pedido para uso emergencial no Brasil tinha sido protocolado em maio.

Pleno.News – 29/06/2021 08h08 | atualizado em 29/06/2021 09h24

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguês do Brasil