Demitidos! Veja quem deu adeus à Rede Globo em 2020

Stênio Garcia foi demitido da Globo após 47 anos na emissora / Foto: Reprodução

Regina Duarte, Aguinaldo Silva e Vera Fischer trabalharam na emissora por mais de 40 anos

Globo optou por não renovar contrato com Aguinaldo Silva
Globo optou por não renovar contrato com Aguinaldo Silva / Foto: Reprodução
Regina Duarte assumiu cargo no governo federal
Regina Duarte assumiu cargo no governo federal / Foto: Carolina Antunes/PR
Miguel Falabella
Miguel Falabella não teve seu contrato renovado pela Globo / Foto: Reprodução
Vera Fischer deixou a Globo após 43 anos
Vera Fischer deixou a Globo após 43 anos / Foto: Reprodução
Zeca Camargo deixou a emissora onde estreou em 1996
Zeca Camargo deixou a emissora onde estreou em 1996 / Foto: Reprodução
Cartolouco foi demitido da Globo
Cartolouco foi demitido da Globo / Foto: Reprodução
Bruno Gagliasso deu adeus à Globo em 2019
Bruno Gagliasso deu adeus à Globo em 2019 / Foto: Reprodução
Bruna Marquezine quis dar um tempo na TV para estudar
Bruna Marquezine quis dar um tempo na TV para estudar / Foto: Reprodução
Futuro de Angélica é incerto na emissora
Futuro de Angélica é incerto na emissora / Foto: Reprodução
  • 1 de 10

Pelo menos nove grandes nomes da Rede Globo foram desligados da emissora e, de acordo com o diretor financeiro do grupo, Manuel Belmar, essas demissões devem aumentar no mês de junho, podendo chegar a 20% dos colaboradores de cada setor do grupo. Um dos setores que mais sentiu essa mudança foi a dramaturgia, com a saída de medalhões das telenovelas.

Depois de Bruno Gagliasso e Bruna Marquezine, que deixaram a casa em 2019, o ator Stênio Garcia foi demitido após 47 anos dando vida a personagens marcantes, como o Bino, do seriado Carga Pesada, e o tio Ali, da novela O Clone.

– Antes de ser colocado na geladeira eu fazia dois trabalhos ao mesmo tempo, pois nessa época gravava Carga Pesada simultaneamente com Hoje é Dia de Maria. Ficar encostado vivendo de salário base numa emissora e sendo minado dia após dia é muito pior que ser demitido – desabafou Stênio, revelando uma grande mágoa com a emissora.

Outra demissão que gerou forte repercussão no mundo da TV foi do novelista Aguinaldo Silva. Autor de sucessos memoráveis como Senhor do Destino e A Indomada, Aguinaldo trabalhou na Globo por mais de quatro décadas e tinha um salário de R$ 3 milhões. Sem uma nova obra prevista, acredita-se que o fracasso de O Sétimo Guardião também tenha contribuído com a decisão.

Ainda dentro da dramaturgia, houve a saída de Regina Duarte, que foi chamada para assumir a Secretaria Especial da Cultura no governo Bolsonaro e agora deve chefiar a Cinemateca em São Paulo; Miguel Falabella, que atuou e roteirizou programas de TV; e Vera Fischer, que pertenceu ao quadro de funcionários por mais de 40 anos.

Fora da ficção, a Globo também fez cortes no setor de entretenimento com a demissão de Zeca Camargo, que estreou no canal em 1996 e apresentou diversos programas. Na parte de esporte, quem dançou foi o jornalista Lucas Strabko, conhecido como Cartolouco. Ele chegou a ser afastado do Globo Esporte São Paulo após fazer uma “guerra” de álcool em gel ao vivo.

Quem tem um futuro ainda incerto na emissora é Angélica. A mulher de Luciano Huck pode perder o emprego depois que seu aguardado programa – Simples Assim – teve suas gravações suspensas por causa do coronavírus. A atração estrearia em abril, mas seguem com futuro incerto.

Comunicar erro Rafael Ramos – 09/06/2020 18h08 | atualizado em 09/06/2020 18h30

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese