Pablo Marçal pede desculpas a Silas Malafaia e a Jair Bolsonaro

“Quando a gente erra, a gente tem que voltar atrás”, disse pré-candidato à Presidência

O coach e pré-candidato à Presidência, Pablo Marçal (PROS), publicou um vídeo nesta terça-feira (31) pedindo desculpas ao pastor Silas Malafaia e ao presidente Jair Bolsonaro (PL) por declarações que fez durante troca de farpas com o líder cristão. Marçal disse estar arrependido pelas palavras que usou e afirmou não ter compromisso com os seus próprios erros.

Em troca de áudios com o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo anteriormente, Marçal havia dito que Malafaia é intolerante e “apoia alguém que ama ditadores”, se referindo ao presidente Bolsonaro. Ele também classificou o líder do Planalto como “desequilibrado”.

– Você [pastor Silas Malafaia] hoje é o principal conselheiro do presidente da República. É por isso que este país está essa intolerância. Você não tem tolerância com os outros. Você não tolera nada. Você acha que todo mundo tem que ser o que você quer. Por isso que o presidente é desequilibrado igual a você – declarou ele no áudio direcionado a Malafaia, que mais tarde veio à público.

Em seu vídeo de desculpas, Marçal revelou querer voltar atrás em suas palavras sobre o chefe do Executivo.

– [Bolsonaro] é o governante, o atual rei, né? Na democracia a gente chama de presidente. Me perdoe se eu falei alguma coisa, eu volto atrás nisso e que você possa continuar prosperando até o final do seu mandato – desejou.

Em recado ao pastor Silas, ele prometeu que nunca mais lhe causaria problemas.

– Até peço, como pedido de aceite deste perdão, para você me desbloquear do WhatsApp. Você não vai ter mais problema comigo, não vai ver sair da minha boca nenhum ataque. Nada da minha vida vai direcionar contra a sua – garantiu.

De acordo com vídeo publicado por Malafaia na última sexta (27), o conflito com Marçal começou quando o pastor pregou sobre “espírito de engano” no meio da igreja, fazendo referência a teologias que ele considera equivocadas. Embora não tenha citado explicitamente nomes, Pablo entendeu como uma crítica a seu trabalho. Ele atua como coach e conselheiro espiritual.

Em decorrência da pregação, ambos trocaram áudios por meio do WhatsApp, e Malafaia afirmou que Marçal possui “posições muito equivocadas em relação à igreja e às questões doutrinárias e fundamentais para a igreja”.

Em vídeo posterior à troca de mensagens, Pablo relacionou o líder cristão à maçonaria, golpes de bitcoin e a supostos tratamentos aos quais a esposa do pastor teria sido submetida nos Estados Unidos. Silas rebateu, por sua vez, dizendo ter sido “caluniado, difamado, por um mau-caráter, mentiroso, manipulador, megalomaníaco, que tem sintomas de doença mental grave”.

Após os embates, Marçal decidiu vir a público a fim de pedir desculpas pelos conflitos e afirmou estar arrependido, especialmente, pelo que disse no tocante à esposa do pastor. Em tuítes, no mesmo dia, Malafaia comentou o pedido de perdão e expressou dúvida se ele teria sido motivado por “sinceridade ou malandragem”.

– Quem pede perdão não justifica seu erro, apenas confessa que errou. Será mais uma jogada de marketing da cartilha das redes sociais para atrair mais seguidores? Não se justifica erros apresentando motivos. Errou? Confessa, pede perdão e se cala. Fora isso, é mentira! (…) Quem quer dar motivos porque errou, quer se passar por vítima de alguém. Quem reconhece erro, pede perdão e não justifica. O resto é falsa humildade e conversa fiada para enganar as pessoas. Vamos ver se há sinceridade ou malandragem – escreveu.

Thamirys Andrade – 31/05/2022 15h52 | atualizado em 31/05/2022 17h13-Pleno.News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.